Em uma avenida grande e movimentada de carros velozes, vive uma comunidade. Olha aquele barranco. Eles ficam ali. Em cima, tem um muro de tijolos que cerca carros luxuosos de policiais e autoridades. Em baixo, em uma extensão larga de terreno baldio com um muro grande de terra, está a comunidade.

Casinhas feitas de madeira, lona e tudo o que der para, ao menos, ficar protegido. A sala, os quartos e cozinha de cada família são improvisadas da maneira que dá. Móveis usados, achados, novos ou totalmente velhos.

Ah! E próximo dali existe um rio. Onde mulheres com crianças, suas ou de vizinhas, frequentam. Ali são lavadas as roupas, as louças e tomado os banhos diários.

Existe uma cultura particular nessa comunidade que eu, particularmente, desconheço. Talvez Helena conheça melhor. Falam uma língua diferente. Possuem característica singular que os identificam. Cabelos escuros e escorridos. Olhos levemente puxados. Pele escura.

A jovem Helena é quem vivencia essa cena todos os dias a caminho do trabalho. Pega o ônibus às 13h26, em ponto. O itinerário dá uma volta em seu bairro e segue destino. Depois de 15 minutos, a mesma cena está lá. Nada muda. Nem a reação dela.

Como ficar confortável com o que se vê? Será que aquela comunidade está ali para ser mais bem cuidada pelas autoridades que estão cumprindo bem o seu papel?! Helena e eu sabemos que não.

De segurança devem ter muito menos que Helena, que mora num bairro comum da cidade. Mas ainda assim permanecem ali. Marginalizados. Sem segurança de coisa alguma. Nem de terras que já não são mais suas.

Como essa história termina? A jovem se questiona todos os dias. Sabe que não pode fazer nada. Que os questionamentos em sua cabeça são iguais apenas de algumas pessoas. E que autoridade nenhuma reagirá a favor de toda essa situação.

Às vezes, o rosto de Helena é envolvido por algumas lágrimas. Ela respira fundo e seus olhos, que acompanham rapidamente a cena, secam. O ônibus segue destino e a jovem se liga no trânsito. Afinal, não pode se atrasar pro trabalho !

Foto: Aquivo do google