Restaurante tailandês faz sucesso em Londrina, com uma proposta diferenciada de gastronomia. 

Unindo as duas palmas das mãos na altura do peito com os dedos apontados para cima, em forma de oração, curva-se levemente o corpo para frente e se diz “wai”. Para os tailandeses é a forma mais simples de cumprimento, mesmo cercada de etiquetas.

O país, situado na Península da Indochina, no Sudeste Asiático, é popularmente conhecido pelas antigas histórias do seu povo, delicadas belezas e marcante culinária. E hoje, para conhecer um pouco mais sobre a Tailândia e, principalmente, experimentar os seus sabores, não é preciso viajar para tão longe. Londrina, que sempre foi destaque pela sua variedade gastronômica e cultural, conta, há quatro anos, com um restaurante tailandês. 

Bangkok Garden está longe de ser apenas mais um exótico restaurante. O nome, Bangkok, não por acaso, é também o nome da capital mais populosa da Tailândia, além de principal centro financeiro, cultural e histórico do país. De ambiente completamente incomum para os brasileiros, o restaurante aposta, logo na primeira impressão do seu cliente, em um espaço totalmente temático.

IMG_0103

De recepção atenciosa e acolhedora, o chefe e dono do estabelecimento, Eduardo Henriques Hatada que, ao saber que a equipe de estudantes que o entrevistavam são alunos da Universidade Estadual de Londrina (UEL), contou orgulhoso que também já estudou Comunicação Social na universidade no final dos anos 80. Relembrando os tempos de estudos, Eduardo contou ainda que após abandonar a faculdade, se mudou para o Japão e, vivendo posteriormente em outros países asiáticos, se apaixonou por gastronomia e pela culinária local. De volta ao Brasil, escolheu Londrina para abrir o restaurante Bangkok, trazendo aos londrinenses o melhor da gastronomia e cultura asiática.

Para o chefe de cozinha, Eduardo Hatada, cada detalhe foi pensado para o melhor funcionamento do restaurante. Nas cores, ele destaca para os tons em dourado que, segundo ele, remetem à cultura do povo tailandês de culto e idolatria ao rei do país, Bhumibol Adulyadej, de 87 anos.

As dezenas de objetos expostos como parte da decoração, alguns típicos e outros raros, são todos importados do país, e dão a impressão de que estamos em uma belíssima exposição artística e cultural sobre a Tailândia. Ambientes internos e externos, iluminação diferenciada e som ambiente com tradicionais músicas tailandesas parecem difundir nas pessoas a sensação de não apenas experimentarem os diferentes sabores culinários, mas também a de se transportarem para o cenário asiático.

E foram encantados pela decoração, cardápio e ambiente exóticos, que os noivos Fernando Manzão e Maria Beatriz Carvalho escolheram o restaurante como lugar propício para o jantar de noivados que darão para a família. Clientes assíduos, para Maria Beatriz foram vários os fatores que os levaram à escolha: “Quando conheci o restaurante, fiquei meio apreensiva na hora de pedir os pratos, mas gostei muito dos que já comi. Tudo aqui é ótimo, desde o atendimento, a apresentação dos pratos, ambiente, quadros e decoração”.

IMG_0122
Fernando Manzão, Maria Beatriz Carvalho e família.

Quanto aos sabores exóticos e um pouco desconhecidos, Fernando Manzão afirma: “não posso pedir o nível 3 da pimenta porque já é demais né?”, disse em tom de risada, mas complementou dizendo: “tem bastante variedade. São muitos pratos e que se adequam a diversos gostos. Uma combinação de temperos diferentes. Eu nunca imaginaria que a mistura de tantos temperos assim dariam em um sabor tão bom”.

Da variedade e beleza do cardápio, as atenções se voltam novamente para cada detalhe. Na frente dos nomes de cada prato, o cliente encontra o ícone da bandeirinha do país específico daquela comida. Algumas páginas contêm ainda dicas e trechos da história tailandesa e em outras com explicações de algumas das especiarias (pimentas, temperos e sementes) utilizadas nos pratos. Além da gastronomia tailandesa, o restaurante serve ainda pratos típicos das culinárias japonesa, vietnamita, chinesa, indiana e brasileira.

Perguntado sobre os pratos mais pedidos e populares da culinária tailandesa, o chefe Eduardo nos indicou o Som Tam, ou Salada de Mamão Verde. Nos ingredientes ele acrescenta: cenoura ralada, tomate em cubos, amendoim picado, molho de peixe, alho e água de tamarindo. 

Outro prato típico são as Asinhas Thai. Tulipas tailandesas assadas com sriracha (pimenta antiga tailandesa) com mel. Uma mistura de sabores cítricos e adocicados, com a leveza da pimenta, marcas registradas da culinária do país. 

O chefe Eduardo Hatada diz priorizar o bom atendimento como parte não apenas da fidelização do cliente, mas também de uma receptividade que o faça se sentir melhor acolhido e confortável no espaço que lhes é proporcionado, além, claro, de forma a auxiliar na escolha do cardápio: “não é apenas entregar o cardápio e dizer para o cliente escolhe aí, é preciso apresentar a ele os pratos, explicar o que leva em cada um deles, e facilitar na escolha”.

E tudo parece ter sido minimamente pensado para o funcionamento do restaurante. O cardápio, que anualmente é alterado, é feito após muito estudo e um cuidadoso preparo. Parte da decoração foi planejado a partir de muitas viagens do chefe Eduardo à Tailândia, que preocupou em trazer os objetos do próprio país.

A pedido dos clientes, Eduardo começou ainda a trazer da Tailândia utensílios utilizados pelos tailandeses. Louças, copos e outros objetos típicos da Ásia, são agora vendidos para os seus clientes que, encantados com os acessórios, encontram no restaurante uma forma de se aproximarem, conhecerem a ainda levarem para casa um pouco da cultura do país.

Mais do que um simples jantar, as visitas ao Bangkok Garden valem como excelente espaço para conhecer um pouco mais sobre uma cultura diferente da brasileira. O contato com os objetos, a proximidade com o cenário temático, os sons e músicas tailandesas e o atendimento, que as vezes se confunde a uma aula de história sobre a Tailândia, são qualidades que devem ser apresentadas como modelo de excentricidade em Londrina.

(créditos das imagens: página do Bangkok Garden no Facebook)